sábado, 15 de agosto de 2009

A Educação Segundo o Espiritismo - Livro Espírita

Avaliação: 

Obra de estudo e reflexão, que se tornou objeto de pesquisa e leitura em inúmeros grupos de pais, professores e lideranças comunitárias, no Brasil afora, traz abordagens novas e originais sobre teorias e práticas pedagógicas.

Apesar de sua abrangência e profundidade, a linguagem é objetiva e clara, facilitando a leitura de pessoas com qualquer grau de escolaridade, sem com isso perder consistência. A idéia de que a criança é um ser reencarnado transfigura a proposta pedagógica posta neste livro.

Autora: Dora Incontri

Número de Páginas: 243
Ano de Lançamento: 1997
Tamanho: 16 cm X 22 cm
Peso: 490g
Onde comprar? AQUI

Versão on-line: Scrib (É possível realizar o download neste site, basta fazer um simples cadastro)

--------------------

A Música na Educação

Quis dar também meu palpite nesses intercâmbios entre os dois mundos, sobre um tema que a todos os Espíritos interessa: a Educação… Fá-lo-ei, porém, dentro do campo em que atuei na Terra e pelo qual ainda me embrenho, embora em sintonias mais sutis, em consonância com a harmonia cósmica.

Educação e música – duas palavras que ressoam harmoniosamente juntas. Deixai que a música freqüente a alma desde cedo, tocando sutilmente as fibras divinas do ser e a moralidade e o amor brotarão mais facilmente nas vossas crianças.

A música é linguagem imediata, não conceitual, que trasncende os padrões rígidos das palavras, podendo enlaçar o espírito num todo. Sem que se dê conta, ei-lo que está sentindo, pensando, pulsando em todo o seu ser espiritual na vibração da música. Que poderoso instrumento de persuasão e de elevação! Porque quando a alma está desarmada, com a sensibilidade abandonada ao sabor dos ventos, a música entra por todos os poros perispirituais e a perpassa, a invade completamente…

Ora, exatamente nas crianças, que em vosso planeta ainda chegam experimentando a bênção do adormecimento, a sensibilidade está à superfície da pele. Ainda não foram reconstruídas pelo ensino racionalizado as estruturas lógicas da consciência. A criança bebe os sons, como se impregna das imagens, absorvendo profundamente as impressões que a alcançam. Eis então o meio insuperável para que essas impressões sejam harmônicas, belas e puras: a música!

Mas… é preciso antes nos entendermos a respeito dessa palavra, pois quantos arremedos de sons, quantos desencontros harmônicos e quanta sonoridade brutal chamais de música…

Direi, antes de mais nada, que o primeiro elemento da verdadeira música é o silêncio. Quem não for sensibilizado para ouvir o que a natureza nos oferece de musicalidade, o que o silêncio nos proporciona de introspecção; quem não for capaz de apalpar a sutileza de um grilo noturno ou comover-se com o canto de um pássaro, ou ainda contemplar em si mesmo o silêncio da paz, jamais compreenderá a essência da música. Sabeis que fazem parte, da própria composição musical, as pausas, que marcam a pulsação da alma, quando se retrai na inspiração, para depois expirar novamente o som…

Assim, educai o ouvido para o silêncio da natureza e para a natureza divina do silêncio – pois é também quando se faz silêncio na Terra, que o Espírito encarcerado no corpo pode se alçar ao infinito e beber as harmonias celestiais que, garanto, não têm comparação, não têm expressão possível em vosso plano…

Depois do silêncio – a simplicidade. Começai por introduzir às crianças melodias simples, cantantes, doces. Mas eis o segredo: fazei com que degustem cada nota, cada acorde, cada suspiro da alma. Longe de mim, entretanto, sugerir-vos a aproximação da criança com a mediocridade, com o feio, com o banal. A simplicidade pode ser divina – é isso que deveis procurar (e não apenas no domínio das artes, mas da própria vida, pois quereis divindade mais simples que a de Jesus?).

Outro requisito da sensibilidade musical é o vagar. Que o espírito se abandone às harmonias e se evole às alturas! Não o enlevo comtemplativo da inutilidade, em que as horas ecoam num sonhar vazio. Mas a ação, mesmo a mais nobre, não prescinde do apoio do ócio, esse ócio que os filósofos pregavam, no qual o espírito possa se cultivar para o Bem e para o Belo, apurando os laços de sintonia com as estrelas… Por isso, não corrais tanto de alguns minutos de encontro com o Belo e permiti também que as crianças tenham tempo para a música; para fazê-la, para conhecê-la, para amá-la.

E afinal, uma última palavra sobre um outro aspecto desse vasto tema. Um aspecto que me toca ainda a lembrança da minha encarnação de músico terrestre: o das crianças-prodígio – desses espíritos que já nascem embalados pelas harmonias que jorram do Alto e que nada podem fazer senão dar vazão a essa musicalidade chegando aos borbotões. Digo das crianças que assim se apresentam espontaneamente enão dessas que, muitas vezes, treinais à força do cansaço e às quais conseguis impringir uma mecanização precoce das técnicas de interpretação. Quanto às que realmente se mostrem talentosas – evitai a idolatria! Protegei-as das manobras dos interesses mesquinhos e confiai-lhes o tesouro moral de Jesus. Esse é o melhor presente que podeis oferecer ao talento.

E, sobretudo, sabei que o Mestre conta com todos, para a sinfonia de um mundo novo e os músicos serão chamados a captar as harmonias do cosmos, traduzindo-as para a Terra e elevando o tônus vibratório do planeta. Mas, então, ajudai os músicos, para que se elevem a si mesmos e suas melodias serão mais puras, suas traduções mais fiéis e suas harmonias mais doces – para embalar o terceiro milênio…

Deste que agradece a todo o planeta pelas imerecidas homenagens de aniversário de morte e envia a todos um coração cheio de amor!

Mozart

9/12/91

(Extraído do livro “A Educação Segundo o Espiritismo”, de Dora Incontri)

3 comentários:

Espírita na Net disse...

Olá! Acabei de conhecer o blog e gostei muito, parabéns!

Gostaria de avisar que coloquei o link no meu blog, na lista de blogs espíritas. Tudo bem?

Abraços fraternos,

Adriana.

Zilda Santiago disse...

Excência em educação espírita,o livro e a autora/palestrante.Parabéns pela divulgação.

Renã Vargas disse...

Agradecemos os elogios.
Pode colocar o link sim, sem problema.

Um grande abraço