segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Indicação do filme sobre a vida do presidente divide opiniões

Avaliação: 
A indicação de Lula, o Filho do Brasil, de Fábio Barreto, para representar o Brasil no Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2011 provocou opiniões que vão de um extremo ao outro. A escolha feita pela comissão formada por representantes da Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional de Cinema e da Academia Brasileira de Cinema foi unânime, mas ao ocorrer no momento que antecede as eleições presidenciais esquentou ainda mais os ânimos. Se dependesse do gosto popular, o filme sobre o presidente perderia a disputa com larga vantagem para os primeiros colocados.


Ogrande favorito popular à escolha era o filme espírita Nosso Lar que recebeu 70% dos votos do público (quase 90% dos 130 mil votos) em uma enquete feita pelo site do MinC (sem relação com a escolha oficial). Em seguida aparecia Chico Xavier, com 12%; e Lula, o Filho do Brasil estava em sexto, com apenas 1% dos votos. A lista dos finalistas ao Oscar sai no dia 25 de janeiro, e a cerimônia de premiação será dia 27 de fevereiro, em Los Angeles. O polêmico Lope, filme dirigido pelo brasileiro Andrucha Waddington, é um dos finalistas pela Espanha (é uma coprodução com o país europeu).

Em entrevista ao DC, produtores falaram sobre a escolha e, no blog Sala de Cinema, os visitantes opinaram sobre o filme selecionado. Os internautas consideram uma obra bem realizada tecnicamente, mas que o resultado estético poderia ser melhor. Para a versão internacional, o filme de Lula vai ter cenas adicionais, com imagens de Barack Obama e outros líderes. Legendas e fotos que aparecem junto aos créditos serão substituídas por dados e imagens mais recentes.


OPINIÃO DOS ESPECIALISTAS

É irrelevante sob o ponto de vista estético. É mais um filme da família Barreto e atende somente aspectos biográficos.
Renato Magalhães, produtor

O filme é bem realizado tecnicamente e é o único que pode representar bem o Brasil no Oscar. Não é genial, mas cumpre o papel de abordar uma temática popular.
Cesar Cavalcanti, diretor e produtor

Gostei do filme e a escolha para o Oscar é boa porque Lula tem um apelo internacional. Embora possa ser o melhor filme de uma safra, o personagem não foi devidamente aproveitado pelo diretor e o tema ficou pasteurizado.
Luiza Lins, diretora

Tecnicamente perfeito, mas extremamente sensacionista. A narrativa resume-se à uma história de amor em prejuízo da história política. Mas é provável que ao retratar uma condição de 3o Mundo, tenha chance no Oscar.
Melina Curi, diretora e produtora


OPINIÃO DOS INTERNAUTAS

Quem viu o filme sabe que o filme é bom, é emocionante. Lógico que sempre haverá questãos politicas e ideológica no meio.
Alexandre Lucas

Me lembra a época da ditadura em que somente as coisas do governo eram liberadas. A voz de Deus [referência ao filme Nosso Lar, escolhido pelo voto popular] foi literalmente apagada (70%).
Jair Pereira


Grande escolha! O filme mostra as dificuldades que as pessoas encontravam na época, o sofrimento dos retirantes para a cidade grande e a vitória de um torneiro mecânico que soube fazer do Brasil um país a ser admirado no mundo inteiro!
Thiago Leal

É uma vergonha e falta de respeito a todos aqueles que gostam de cinema e, principalmente, aqueles que batalham para produzir um filme de qualidade neste Brasil que pouco valoriza esta área.

Nilton de Jesus Júnior

Nenhum comentário: