quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Vaidade no Artista

Avaliação: 
É fato que quem mexe com a arte está sujeito à aparecer. Mas que "aparecer" seria esse?
Qual o mais importante? Se fazer mostrar, ou fazer mostrar a mensagem. Certamente acabamos por nos fazer mostrar, visto que o nosso corpo é a nossa própria ferramenta, especialmente quem lida com teatro, música e dança.
A estética e qualidade do trabalho são importantes para o bom desenvolvimento da transmissão de uma mensagem, mas esta última é e sempre será o elemento X.

Agradecimentos e elogios são bons e estimulam o trabalhador, mas também não podem ser o objetivo e tampouco o que o faz movimentar. Mais importante do que receber aplausos é terminar o trabalho com a certeza no coração de que uma mensagem foi passada e que pessoas sentiram boas vibrações.

A vaidade muitas vezes pode desqualificar o trabalhador. Quando pensamos demais no que dirão de nós, qual será a força do aplauso, quem vai se lembrar da gente, se vou aparecer bem ou não, acabamos por nos desatentar do objetivo principal, o que faz com que a qualidade do trabalho caia. Também no momento em que acho meu trabalho perfeito, sem necessidade de mais ensaios, por exemplo, acabo deixando de procurar mudanças e melhorias e não percebo os erros que estou cometendo.
Precisamos estar constantemente em alerta, procurando sempre a melhor forma de levar a Doutrina e suas mensagens ao público e, principalmente, orar e vigiar sempre.

3 comentários:

fabiano barreto disse...

enbora eu acredite que o artista é movido pela vaidade , ela deve servir apenas como elemento motivador , para que o artista não venha a ficar como narcizo , preso a sua propria imagem de artista perfeito , esquecendo que somos apenas instrumentos de uma força muito maior .

Shelley disse...

Bom, a vaidade ainda faz parte de nós seres humanos no grau de evolução em que nos encontramos. Porém, que consigamos fazer com que ela sirva somente, e tão somente, para nos fazer buscar a melhora da qualidade do trabalho, jamais o sucesso e o estrelismo.

jenifer disse...

concordo plenamente sheley, até pq a vaidade(q é decorrente do orgulho)é um sentimento que devemos arrancar do nosso ser. O que devemos ter dentro de nós é o contentamento de um trabalho bem feito,sabermos que o nosso trabalho tocou as pessoas, e isso só será atingido com a MORAL bem utilizada, de mãos dadas com a estética que precisa ser aprimorada para que se torne atrativa aos olhos (e demais sentidos) assim podendo fazer efeito nos seres.