domingo, 6 de fevereiro de 2011

O cinema do além

Avaliação: 
Segue um artigo de uma amiga. (http://www.cinemaslumiere.com.br/blog/?p=7)

O cinema do além

A arte, de uma forma geral, sempre buscou retratar além do que os olhos humanos conseguem ver, seja através da literatura, da pintura, da fotografia e, principalmente, do cinema. O que a gente imagina pode ser colocado na tela, e até muito mais do que a mente consegue criar.

O cinema mundial – leia-se o cinema comercial, em sua grande parte – sofre influências do desejo popular. Caso um filme de determinado gênero faça sucesso, outros de teor semelhante deverão surgir em uma espécie de cadeia. Assim foi com “Cidade de Deus”, que abriu caminho para uma série de outros filmes que retratam pobreza e violência. Assim também aconteceu com “Nosso Lar” e “Aparecida – O Milagre”, logo depois da recepção popular por meio de “Chico Chavier”.

Os filmes com fundo religioso, especialmente os espíritas, estão em alta abarrotando salas e salas. Em tempos antes, o Brasil era majoritariamente católico e hoje abre concessões para outros credos.

No Brasil, tem-se o costume de levar a cultura brasileira para as telonas o momento histórico cotidiano e pensamentos sociais que refletem nosso cotidiano. Sendo assim, questões polemizadas pela mídia e dentro de casa são levadas adiante e transformadas em roteiro.

O cinema brasileiro não costuma abordar questões de reflexões da humanidade ou temas do tipo, mas bem que os dramas religiosos, sempre muito arriscados, tentam ultrapassar essa fronteira.

A juventude brasileira, em sua maioria, está acostumada às grandes produções e bilheterias do cinema mundial. Retratar questões religiosas, de fundo moral, requer uma linguagem para um público específico de fiéis, mas também uma linguagem geral que atenda aos espectadores como um todo.

Mas, se falarmos em temáticas sobrenaturais de modo mais abrangente – e abordando além do cinema nacional –, percebemos o quão populares são os filmes que tratam de assuntos do além e que já foram muito bem explorados no cinema, como é o caso de “Ghost”, “Sexto Sentido” e o recém-lançado “Além da Vida”, de Clint Eastwood.

Polemizar é o lema de um cinema que se pretende cada vez mais autocrítico e em busca de constantes descobertas por entre as façanhas humanas e muito mais do que a mente humana pode imaginar.

Nenhum comentário: